Centro de Pesquisas em Lisboa

Projetado por Paulo Mendes da Rocha, o Centro Champalimaud , do arquiteto indiano Charles Correa, surge às margens do rio Tejo. Tem a função de abrigar um conceituado centro de pesquisas de ponta e o tratamento de câncer num único local. 

Uma arquitetura harmônica, os olhos conseguem percorrer a obra toda sem se confundir ou deixar passar algum elemento da persepção visual.

Como se percebe, parte dos traços são orgânicos, com formas geométricas curvas, o que dá movimento ao elemento em questão, trazendo um belo resultado.

Foram usadas cores claras e ‘limpas’  nos materiais de revestimento tanto no exterior quanto no interior.

A iluminação natural dos ambientes do edifício foram precisamente trabalhadas, com vãos de vidro que permitem uma boa entrada para a luz natural.

Nessa edificação se encontram três blocos: A, B, e C; que são repartidas entre eles funções diferentes. O bloco A se resume em diagnóstico, tratamento e pesquisa; o bloco B fica com as partes de auditório, área de exposições, restaurante e escritórios; e o bloco C se limita a um anfiteatro ao ar livre.

Entre esses três blocos há uma praça pública que corta em diagonal todo o terreno chegando às margens do rio Tejo.

Um espelho d’água com fundo infinito dá a impressão de que o local se conecta ao rio.

Nesse centro cerca de 440 cientistas de 20 países trabalham em pesquisas de ponta.

A biblioteca do centro, de piso duplo, fica no cruzamento das duas alas do térreo e funciona como ponto de encontro para cientistas, médicos e pacientes.

fonte:Arcoweb

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: