Decoração estilo industrial, o que é?

Oi gente! Tudo bem? Bom… o que é estilo industrial?

01

Esse estilo foi criado nos anos 70 mais ou menos, foi onde tudo começou. As pessoas começaram a comprar galpões e transformá-los em residências! Como galpões tem o encanamento aparente, o concreto aparente, nada muito ”arrumadinho ou fofinho”, tudo bem básico, sem muito ‘frufru’, rs, foram aproveitados esses detalhes na decoração dos ambientes, as pessoas resolveram deixar essas características e trabalhar com elas ao invés de reformar por completo os galpões! Massa né? 😀

Styling Anna Mård; Ulkner
Styling Anna Mård; Ulkner

Esse estilo geralmente segue um método minimalista, os móveis são básicos, a estrutura é toda aparente, ligações elétricas e hidráulicas, etc. Esse estilo super legal surgiu em Nova Iorque e se espalhou por boa parte do mundo.

04

Aqui no Brasil temos vários exemplos dessa decoração. O pessoal gostou tanto, que hoje em dia os ambientes com essa decoração não necessariamente eram galpões anteriormente! Muito desses espaços são projetados para serem assim desde o inicio! E vou te contar uma coisa, muitos adeptos dessa ‘moda’ são os homens, que quando falamos de decoração gostam de uma linha mais racional e simples.

03

Como apresentar meu projeto?

Oi pessoal! Andei analisando na faculdade e percebi que muitas pessoas tem dificuldade de montar uma prancha (folha em que vão as informações do projeto e o projeto em questão) acabam se perdendo no caminho e o resultado é uma prancha poluída, ou seja, confusa, o conteúdo não é claro e fácil de entender. Ok, mas o que fazer então? Como me organizar para apresentar um projeto de fácil leitura e interpretação? Vamos lá:

concurso-vc3a1rzea-paulista-menc3a7c3a3o-honrosa-23-prancha-04

1º Organize o conteúdo.

Isso mesmo gente. Organização é tudo! Liste tudo o que você tem a colocar na prancha e enumere os itens, do mais relevante ao menos importante. Disponha as informações na prancha de modo a valorizar o que é mas importante.

2º Divida a prancha.

Quando você for colocar a infomações na prancha, precise saber como dispor na prancha pra que fique harmônico. Separe a prancha por colunas horizontais ou verticais, retângulos, circulos, o que você julgar melhor e depois começe a colocar os conteúdos (de forma organizada) nesses espaços, preenchendo-os. Não esqueça que o vazio também é importante, então trabalhe bem os cheios e vazios fazendo com que o leitor não sinta cansaço ao percorrer os olhos pelo seu projeto.

FATMA_FAPESC 01.indd

3º Cores.

Cuidado com essa parte! Já aviso de antemão, rs . As vezes a gente quer inovar e acaba fazendo as coisas de uma forma errada. Ao usar as cores seja comedido. Se você pesar muito as cores no seu projeto, pode acontecer de as cores chamarem mais atenção que o próprio projeto e aí você não alcançará o resultado esperado.

4º Fontes, tamanhos, textos.

Pessoal, não sejam muito longos nos textos, além de ficarem cansativos, não é o ideal de um projeto arquitetônico. No projeto o texto vem para complementar o que o desenho não pode expor. Cuidado com as fontes e tamanho da escrita. Se ficar muito pequeno, não dá pra ler e muito grande fica feio demais! Também não se esqueçaam de justificar os textos e alinhar imagens, textos, tabelas, tudo  o que tiver na prancha para ficar apresentável.

5º Padronize.

Para você ter um resultado legal no visual das suas pranchas, procure padronizá-las. A cor e o tamanho da letra do título segue para as demais pranchas, a fonte dos textos iguais em todas, as cores utilizadas também. Além de ficar muito mais bonito passa a impressão de organização.

Bom, é isso aí! Espero tê-los ajudado !! Agora vamos por a mão na massa e projetar! Beijos. 🙂

Prancha-01

Texto: Débora Bonetto

Imagens: IAB, Archdaily

Iluminação natural

Oi gente! Já ouviram falar em iluminação natural? Ela é mil vezes melhor do que a artificial, te faz economizar e ajudar a preservar o meio ambiente com uso de menos energia!

Eu acho bem mais aconchegante ambientes iluminados pela luz do sol do que por lâmpadas! Vocês concordam? Ainda mais que fica bem mais bonito o ambiente! Quer conferir uns ambientes que  separei para vocês verem como é lindo quando usada a iluminação natural? Olha que legal:

Agora uma dica, quando contratar um arquiteto, peça a ele que use o máximo que conseguir do recurso de iluminação natural nos ambientes, te garanto que você não irá se arrepender!

Beijos,

 

Débora Bonetto.

Decoração Estilo Masculino

Sabemos que os homens sempre preferem uma decoração mais minimalista. Uma que é uma boa pedida para seu apartamento é o uso de materiais aparentes, sem pintura por cima, cru. Também fica muito interessante as instalações elétricas aparentes, confere ao espaço um aspecto mais sofisticado.

decoração com instalaçoes elétricas aparentes

Também pode ser trabalhada a parede com os tijolos aparentes, fica com um resultado muito interessante:

parede tijolo a vista

Outra ideia legal é dispor a iluminação de uma forma criativa para ser o destaque do ambiente:

iluminação

Espero que tenham gostado! Beijos. 🙂

Vidro de proteção solar

Dica de material para vcs que querem um ambiente com vedação em vidro mas não querem que fique um lugar muito quente 😉

Empresa/marca: Reflecta float – Cebrace

Sobre o produto:

O Reflecta Float é um vidro de proteção solar que reduz em até 60% a entrada de calor no ambiente e impede em até 80% a entrada dos raios UV (mesmo quando aplicado monolítico).

Possui aspecto refletivo e, por isso, oferece privacidade. Permite maior conforto visual, pois evita o ofuscamento.

Processamento
temperado, serigrafado e curvado

Aplicação
monolítico, laminado e insulado

Utilização
Entre outros usos, o Reflecta Float é indicado para ser utilizado em:

– Fachadas;
– Portas;
– Janelas;
– Coberturas;
– Sacadas;
– Fechamento de varandas.

large_Edif_cio_Rui_Ohtake

Para mais informações sobre este e outros produtos, você pode visitar o espaço Cebrace® em nosso Catálogo de Produtos ou ir diretamente a www.cebrace.com.br

Fonte: Archdaily

Observando o céu de um jeito diferente!

Oi pessoal!

Sabe aquela hora que tudo o que você mais quer é deitar e relaxar? Então, a designer argentina Aldana Ferrer desenvolveu três modelos de janelas sensacionais para você observar o céu de uma maneira diferente!

0

A primeira você deita sobre ela e observa o céu, deve ser muito interessante observar a chuva também!Experiência única 🙂

1

O visual fica bem legal também! Não acham?

2

Agora, se você tem medo de deitar sobre uma janela, calma, ainda tem mais dois modelos para você! haha

3

Um modelo para você que não arrisca deitar sobre a janela, ainda mais se for no 24º pavimento de um edifício né? (aí só pra quem curte esporte radical haha)

4

Esse último modelo dá para observar tudo ao seu redor, tanto o céu quanto o seu entorno e até ler um bom livro, por que não? 😀

Gostaram?? 🙂

Fonte: casaabril

Material que pode substituir o ar condicionado, é isso mesmo produção?

Oi gente!! 😀

Já ouviram falar em hidrocerâmica? Poisé, esse material foi desenvolvido por estudantes espanhóis (estudantes do Institute of Advanced Architecture of Catalunya (IAAC) e tem a mesma função do ar-condicionado! Que demais né?

hidro1

Esse material é inserido na parede e tem o papel de resfriar o ambiente, lembrando que já vai economizar uma energia e tanto (pq ar condicionado gasta muito).

O material recebeu o nome de HYDROCERAMICS, ele é composto de bolhas de hidrogel que são capazes de reter ate 400 vezes o seu volume em água, as esferas absorvem a água e, em dias quentes evaporam, resfriando o ambiente.

hidro2

O uso desse material é sustentável pois dispensa o uso de energia ou qualquer material que agrida a natureza. Um dia de chuva e essas esferas de hidrogel são reabastecidas! Curtiram? 🙂

Via pensamento verde & Archdaily

Como projetar? Por onde começar?

arq

Olá pessoal, tudo bem?

Bom, muitos se perguntam ‘Nossa, tenho que desenvolver um projeto, e agora?’. Vou dar algumas dicas da minha própria experiência e espero que ajude vocês. 😉

Vamos adotar uma situação: Tenho que desenvolver um projeto de urbanismo para uma cidade perigosa, com várias ruas tortuosas, não há espaço para lazer e muitas casas são irregulares.

Ok, temos um problema, e agora, o que fazer? Vamos seguir um check-list:

1 – Defina um conceito para seu projeto.

Como a cidade é desorganizada, você observou que as pessoas falam mal dela. Sendo assim, você julgou necessário que a cidade tivesse uma nova identidade. Seu conceito então é IDENTIDADE.

Com seu conceito definido, nós partimos pra próxima etapa.

2 – Procure referências.

Isso mesmo! Pesquise o máximo que você puder sobre temas que abordem cidades que precisam de reestruturação urbana. Liste os estudos de caso e retire deles tudo o que você acha interessante usar no seu projeto. Por exemplo, eu sei que a cidade de Medellín era perigosa e com a reestruturação urbana se tornou um exemplo a nível mundial. Se o projeto é bom, use-o como parâmetro.

3 – Partido do projeto.

Ok, você já tem as cartas na manga, agora o que você precisa é definir de onde vai partir seu projeto.

Eu sei que estou trabalhando com uma cidade perigosa e desorganizada, o que devo fazer para mudar essa situação? (levando em conta que quero mudar a identidade da cidade). Há vários caminhos que levam à mesma solução. Eu quero partir da idéia de que o lugar precisa atender aos eixos da vida humana: saúde, educação, esportes, lazer, cultura. E como fazer isso? Vou implantar usos que atendam a essas necessidades, como por exemplo quadras de futebol, escolas, parques, bibliotecas.

4 – Desenvolvimento.

Agora é a hora de você arregaçar as mangas e começar a jogar no papel tudo o que pensou e listou anteriormente, pense nos acessos, no fluxo de veículos e pessoas, nos melhores lugares para ser implantado um edifício de determinado uso, e vá colocando tudo no papel. Com isso você vai gerar o seu projeto preliminar.

Após incansáveis correções e idéias de outras pessoas comece a se preparar para o projeto final.

5 – Projeto final.

Essa etapa é muito importante, revise seu projeto, tire as imperfeições, imagine-se utilizando o local que você projetou, faça percursos mentais. Tudo para ver se não há erros projetuais antes de dizer ‘pronto, acabei’. Lance seu projeto revisado e atualizado e melhorado e etc (rsrs) no papel e de uma checada final se nada ficou no meio do caminho.

6 – Análise crítica.

Após o projeto finalizado é importante que você o observe e estude para ver se você conseguiu alcançar seus objetivos iniciais. O projeto só ira funcionar da maneira certa se você se certificar de que o propósito inicial foi cumprido. Se sim, parabéns! Você conseguiu! Se você acha que ainda falta alguma coisa, não desista, vá em frente, que o ‘insight’ sempre vem na hora menos esperada, eu sou prova disso por que sempre acontece comigo! Rsrs

Boa sorte, espero ter ajudado e agora bora colocar a mão na massa!

Débora Bonetto

Maquete com caixa de leite!

Fala pessoal, tudo bem?

Esses dias eu inovei, fiz uma ‘maquete sustentável’ de materiais recicláveis… sabe o que eu usei? Caixa de leite!! E ficou muito massa! Se você curte coisas diferentes e ideias boas, pode apostar nessa!

É super fácil de fazer, basta você recortar os moldes (não esquece de tirar as tiras amassadas, se não fica feio) e depois colar com cola super forte, aquela que cola MDF sabe? Pronto, sua maquete está linda e executada 🙂

As fotos da maquete que fiz:

Maquete sustentável
Maquete sustentável

CAM04283

Conceito x Partido, e agora?

Aquela dificuldade enorme de entender a diferença entre conceito e partido, não é ? Mas hoje vou esclarecer para os estudantes de Arquitetura o que são Conceito e Partido arquitetônico. Vamos lá:

Conceito é basicamente a ideia que você tem para seu projeto, por exemplo: Eu estou projetando uma galeria para o Largo da Batata em São Paulo, sabendo que a região do largo sempre foi um espaço popular e de encontro (mas que hoje está perdendo essas características com o enobrecimento da área) eu quero com o meu projeto resgatar esse potencial da área, ou seja, meu conceito é resgatar a identidade do lugar. ( essa é a minha ideia, certo?)

Já o Partido é como farei para alcançar minha ideia de resgatar a identidade do lugar. Bom, conhecendo o espaço, decidi usar vidros para o interior interagir com o exterior e deixar boa parte do térreo livre com usos interessantes fazendo com que as pessoas tenham vontade de permanecer no local e promova assim encontros e vida ao lugar, sendo assim, o espaço da minha galeria estará resgatando a identidade do Largo da Batata, ou seja, um lugar de encontro. Entenderam?

Resumão:

Conceito: Ideia do projeto, intenção.

Partido: Técnicas que serão utilizadas para executar sua ideia.

Exemplo simples: Meu conceito é clareza e leveza. Então meu partido será o uso de vidros.

Espero ter ajudado!

Beijos,

Débora Bonetto.

Quero mudar meu quarto, e agora?

Fala pessoal! Tudo bem? Bom, hoje vou falar pra vcs algumas dicas pra quem quer mudar a aparência do quarto, ou sala, o que vc quiser! Vamos lá:

Eu ainda vou fazer isso no meu quarto quando tiver tempo e aí posto pra vcs verem. A ideia hoje é estampar uma parede com gibis… isso mesmo! gibis! Fica super legal e divertido e traz um ar descontraído para o ambiente, olha uns exemplos de como fica legal:

Gibis

gibi 2

Tem como estampar móveis também usando o gibi:

moveis gibi

Bora fazer arte?

gibi 4

Segue um tutorial pra vc fazer sua parede em quadrinhos:

Um beijo!!

Débora Bonetto.

Voltando no tempo, teatro de Atenas

Herothion Theater, Athens, Greece por SofiaEulgem em Flickr
Herothion Theater, Athens, Greece por SofiaEulgem em Flickr

O  teatro intitulado ‘Odeão de Herodes Ático” foi construído por um homem muito rico da época chamado, advinhem… Herodes Ático (achei o nome do teatro super criativo haha), na data de 174 dC. Esse teatro se encontra no sul da acrópole de Atenas, na Grécia. Ele fez o teatro em memória de sua falecida esposa Regilia (que soa meio estranho quando ficamos sabendo que ele foi acusado de matá-la e também acho que se era em memória dela, deveria ter o nome dela e não o dele rsrs) não sei se a informação procede, só sei que existe louco pra tudo nesse mundo, mas enfim, chega de especulações dobre a vida do cara, vamos ao teatro…

O teatro era uma estrutura coberta podendo receber até 5 mil espectadores (era muito grande!), o vão da plateia tem 76 metros de diâmetro e foi escavado na rocha da colina. Tudo era luxuoso, como por exemplo os assentos que eram em mármore branco, divididos em duas seções por um corredor. A orchestra tem 19m de diâmetro, e o cenário, de três níveis, chegava a 28 metros de altura, com vários pórticos em projeção com colunas, e nichos para estatuária, sendo ladeado por escadarias e com uma galeria voltada para o exterior, revestida de mosaico, detalhe esse repetido nas entradas.

Na entrada havia algumas estátuas de faraós, da irmã de Herodes e de três ”amigos políticos” da época, pessoas que ‘facilitaram’ de certa forma a construção da obra.

A construção não saiu nada barato pelo fato de Herodes aplicar alguns dos materiais de melhor qualidade, no entato, mais caros da época como o cedro e o mármore (eu acho que ele gostava de ostentar rsrs). As técnicas construtivas também não eram nem um pouco simples, a cobertura por exemplo, tinha 38 metros de diâmetro sem fixação interna (até hoje é complicado de fazer isso haha)

Infelizmente, essa linda obra foi arrasada em 267, com a invasão de Hérulos, e ficou nessa situação por séculos, sendo jogado um monte de entulho sobre o teatro.  Estava tão enterrado que achavam que se tratava de uma ponte, pois não dava pra ver nada do antigo teatro. Mais tarde, no século XIX, foram iniciadas escavações e descobriram o teatro. Começaram então o restauro do teatro e em 1957 voltou a ser usado para apresentações e festivais, legal né? Acho que seria um bom destino para uma viagem 🙂

Canela RS

1234

A cidade de Canela é mais conhecida pelo seu centro. Sua arquitetura lembra a de Gramado, mas não é tão rica e concentram-se na área central seus usos diferenciados. É importante destacar a Catedral de Pedra. Muito bonita e nada antiga. Tudo é para causar uma impressão nos turistas e os mais desavisados realmente acham que a igreja é antiga. Um ponto que chama a atenção na Catedral de Pedra é sua cobertura, pois destoa muito da sua estrutura geral. Foram colocadas telhas metálicas brancas sendo que a catedral tem sua cor cinza amarronzado escuro. O que foi feito de forma errada é que essa cobertura sobressai à altura do beiral, e aparece nitidamente se observada pelas laterais do edifício. Com isso o valor que se quis passar com essa réplica de uma catedral antiga acaba se perdendo. O interessante foi que quem a projetou, a inseriu no eixo de uma das ruas principais de Canela, então quando você observa a igreja no começo da rua, já bem distante dela, você percebe que o edifício se enquadra na dimensão exata da rua, é muito interessante esse ângulo de visão.

4321

Obs. O chocolate em Canela é bem mais barato e é o mesmo de Gramado! rsrs 😉

Sobre a cidade de Gramado RS

Olá pessoal! Vim hoje para falar para vocês sobre o que eu achei de Gramado 🙂

Em gramado visitei várias edificações de valor histórico e cultural, dentre eles quero destacar a Rua Coberta. Essa rua é mais visitada durante a noite pois, o seu uso é voltado para lanchonetes e restaurantes que funcionam até as 22h. Tem na sua cobertura uma vegetação que a caracteriza. Essa rua funciona como uma galeria aberta e nela tem várias mesas e espaços de estar que fazem com que os cidadãos, na sua maioria turistas, sintam-se a vontade para ficar ali por um bom tempo. As opções de comércio são todas voltadas para o setor alimentício.

rua

A cidade de Gramado é voltada para o turismo, tem uma arquitetura diferente das demais cidades, relembrando cidades europeias. O que chama a atenção na cidade, além do grande número de turistas, é que o pedestre tem prioridade. Se eu pisar na faixa de pedestres, os carros param, assim como é na Europa. Achei bem interessante esse fato e até demorei para acostumar com essa educação de trânsito que existe lá.

Gramado-RS

Acho interessante destacar a igreja da praça central que é muito bonita por fora, porém simplória por dentro. Seu exterior dá a impressão de que é antiga a construção, mas quando adentramos na igreja percebemos que é recente devido aos materiais utilizados, mesmo se chegarmos mais perto das paredes, percebemos que as pedras não passam de um revestimento fino sobre a alvenaria.

ffg

Há também o Lago Negro, que inicialmente chamava-se Vale do Bom Retiro. O local em que o lago se encontra atualmente foi destruído por um incêndio em 1942, e Leopoldo Rosenfeld iniciou seu reflorestamento e a construção da barragem do lago em 1953, procurando semelhança com os lagos da Europa. As mudas de pinheiros que o margeiam foram trazidas da Floresta Negra, em alemão Der Schwarzwald, localizada no sudoeste da Alemanha, no estado do Baden-Württemberg. As árvores são equidistantes ao redor do lago, ao mesmo tempo outras vegetações se mesclam ao meio, vários tons de verde surgem ao redor, as flores são usadas mais na entrada do lago, que também é bem planejado. Há uma trilha ao redor do lago que permite que você observe mais de perto as árvores e sua composição, alguns troncos são torcidos e muitas dessas árvores são inexistentes no Brasil, só existe ali no Lago Negro.

Foto Fernando Aldado.
Foto Fernando Aldado.

A impressão de estar em Gramado é de que não estamos no Brasil, parece que tudo é diferente e até o comportamento da maioria das pessoas diferem das que encontramos fora da cidade. É uma experiência gratificante.

Que tal um centro de educação muito criativo?

Pois é pessoal, enquanto continuamos com as nossas escolas no estilo padrão ‘brasileiro’ sem nenhuma novidade, os chinas estão inovando! Olha que bacana a ideia do centro de educação infantil ‘Family box’ em Pequim, que foi desenvolvido a partir do conceito de árvores coloridas!

3
piscina

A edificação conta com três pavimentos. No térreo temos três piscinas infantis, o primeiro e segundo pavimentos abrigam 15 salas de aula e atividades, incluindo uma cozinha, um mercado, uma sala de música, uma sala de dança, uma cafeteria e uma área interna de brincadeiras e exercícios. Ual! Que demais!
Doze grandes cilindros dividem o espaço no primeiro e segundo pavimento. Posicionados de forma aparentemente aleatória, estes cilindros, e o espaço entre eles que definem, tornam-se as diferentes salas e atividades dentro do centro. As diferentes cores, as variações de aberturas curvas de forma livre, e as paredes inclinadas dos cilindros fortalecem a atmosfera lúdica do centro.
Um acabamento branco e uma iluminação quente foram empregadas por todo o centro, permitindo que os temas alegres e coloridos cumpram um papel característico no espaço. Tudo isso proporciona um melhor desenvolvimento educacional das crianças.

5

6
planta baixa
1
colunas cilíndricas

2

Fonte: Archdaily