Cereja-do-rio-grande.

 

  • Nome Científico: Eugenia involucrata
  • Sinonímia: Phyllocalyx involucratus, Phyllocalyx laevigatus, Eugenia paraguayensis
  • Nome Popular: Cereja-do-rio-grande, Cerejeira, Cerejeira-do-mato, Cereja, Cerejeira-da-terra, Cerejeira-do-rio-grande, Guaibajaí, Ivaí, Ibajaí, Ubajaí, Ibá-rapiroca, Ibárapiroca
  • Família: Myrtaceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: Brasil
  • Ciclo de Vida: Perene

A cerejeira-do-rio-grande é uma árvore frutífera e ornamental, bastante popular nos quintais e pomares do sul e sudeste do Brasil. Sua copa é colunar e seu porte é pequeno a médio, alcançando de 5 a 15 metros de altura. O tronco é reto, liso e descamante, com belas tonalidades de cinza, castanho, verde ou vermelho, dependendo da fase da casca. As folhas são simples, cartáceas, brilhantes, opostas, lanceoladas a elípticas e aromáticas.

As flores são axilares, longopedunculadas, solitárias, pentâmeras e brancas. O centro da flor é caracterizado por numerosos e longos estames, com anteras amarelas. Os frutos são bagas subglobosas a piriformes, de casca fina, cor vermelha a negra quando maduras, coroados pelo cálice persistente. Cada fruto pode conter de uma a três sementes de cor castanha, grandes e oblongas. Floresce e frutifica na primavera.

No jardim ou no pomar, a cerejeira-do-rio-grande se destaca pelo tronco elegante e copa decídua, que marca as estações e ainda fornece numerosos frutinhos. Além disso, é indispensável em áreas de reflorestamento, pois é muito atrativa para a vida silvestre. Os frutos são muito saborosos, doces e levemente ácidos, com polpa carnosa e suculenta. Eles podem ser consumidosin natura ou na forma de compotas, geléias, sorvetes, vinhos, licores, etc. Também pode ser plantada em vasos. A queda dos frutos produz um certo lixo e mancha calçadas e carros, por este motivo, deve se evitar seu uso em áreas de estacionamento.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia sombra, em solo fértil, profundo, drenável e enriquecido com matéria orgânica. Aprecia sombreamento parcial e irrigação periódica nos primeiros anos após o plantio, sendo gradativamente descoberta. Tolerante ao frio. É importante a fertilização anual com adubos químicos ou orgânicos, aplicados na projeção da copa. Também deve se ter o cuidado de manter a árvore bem hidratada durante a floração. Uma irrigação complementar neste período, em caso de estiagem, pode garantir uma boa frutificação. Multiplica-se por sementes que germinam em até 2 meses. A frutificação é precoce, iniciando 4 anos após o plantio. O espaçamento ideal é de 6 metros entre as mudas.

Original de: Raquel Patro, Jardineiro.net

 

Praça do Japão – Curitiba

Inspirada nos clássicos jardins japoneses, a Praça do Japão é uma homenagem de Curitiba aos imigrantes da terra do sol nascente. Há uma imponente réplica do Templo Dourado de Kyoto, com 11 metros de altura, e com uma garça em bronze no topo da casa doada por uma comitiva japonesa da cidade de Hijemi durante uma visita a Curitiba em 1994. O local abriga a Casa da Cultura (biblioteca de literatura nipo-brasileira) e uma loja de artesanato com destaques aos origamis, daruma (símbolo da persistência confeccionado sem olhos, que quando pintados simbolizam que um desejo foi alcançado), kaeru (sapinho da sorte, que geralmente é carregado na bolsa para atrair dinheiro), tsuru (pássaro de origami) e maneki neko (gato da fortuna, que acena com uma das patas e que atrai felicidade e alegria).


Em uma área verde de 8.420 m², há 10 cerejeiras e um pinheiro japonês, estátua de Buda em resina, cinco lagos com carpas coloridas, gramado, duas cascatas, portal em madeira japonês, uma lanterna oriental, que é um monólito em pedra esculpida com 1,20 m de altura, monumento em comemoração aos 50 e 100 Anos de Imigração Japonesa no Brasil (18 de junho de 1958 e 18 junho de 2008, respectivamente) e a estátua Paz Nº 30.31, do artista plástico japonês Baku Inoue, em referência a bomba atômica de Hiroshima.


A Praça do Japão também é palco de diversas atrações culturais, entre elas aulas de ábaco, meditação, origami e a “Cerimônia do Chá”, uma tradição budista milenar que promove paz e tranquilidade ao preparar, servir e beber chá.


Outra atividade que ocorre semanalmente no local é a feira orgânica. Seis barracas vendem frutas, verduras, legumes, sucos, geleias e pescados.

Endereço: Av. Sete de Setembro, Água Verde, Curitiba, CEP: 80240180

Telefone: (41) 3242-7222 (Praça do Japão/ Casa da Cultura)

Site: http://www.viaje.curitiba.pr.gov.br

Horário de funcionamento: 
» Praça do Japão
Todos os dias: ininterrupto

» Casa da Cultura (Biblioteca)
Segunda a sexta: 9h às 18h

» Loja de Artesanato
Quinta a domingo: 10h às 17h

» Cerimônia do Chá
Sábado: 9h às 12h

» Prática de Meditação
Sábado: 19h30 (Iniciantes)
Domingo: 9h (Praticantes)

» Aula de Ábaco
Sexta: 13h às 17h

» Aula de Origami
Quinta a domingo: 10h às 17h

» Feira Orgânica
Quintas: 14h às 22h

Preço: Acesso gratuito à praça, Casa da Cultura (Biblioteca) e prática de meditação. Cada encontro para a Cerimônia do Chá custa R$ 10. Cada aula de Origami é R$ 5 (material é cedido pelos professores). Aulas de ábaco custam a partir de R$ 70 (mensais)


Estacionamento: Não tem

 

Mais informações: É permitido levar animais. O dono é responsável pela coleta dos dejetos. Tem 12 bancos de madeira em bom estado de conservação espalhados pela praça. Na praça ainda existem três telefones públicos. Há seis lixeiras sem coleta seletiva. Não tem banheiro público. A segurança é feita pela Guarda Municipal. Tem uma ciclovia com 140 metros de extensão, também usada como pista de cooper. Não é possível alugar bicicletas no local. Tem uma banca de revista e lanchonete com água, refrigerantes, salgados e doces. Não tem bebedouros. Biblioteca empresta livros gratuitamente com devolução de até 15 dias. Para fazer a carteirinha é necessário comprovante de residência, RG ou CPF.

Outros telefones:

» Associação Nipo-Brasileira de Curitiba: (41) 3264-5474

» Gerência de Feiras Orgânicas: (41) 3350-3838 e (41) 3350-3871

» Associação Cultural e Beneficente Nipo-Brasileira de Curitiba: http://www.nikkeicuritiba.com.br

» Prefeitura de Curitiba: parquesepracas@smma.curitiba.pr.gov.br

» Associação Nipo-Brasileira de Curitiba: bunenkyo@onda.com.br

» Secretaria de Abastecimento, responsável pela Feira Orgânica: smab@smab.curitiba.pr.gov.br

fonte: gazetadopovo

Jardim Indiano

[Ultimo post sobre estilos de jardim.]

Para ter-se uma melhor compreensão sobre esse estilo, é necessário o estudo das construções do lugar, saber como se desenvolvia a arquitetura da época. O que temos em mãos para esse estudo são os templos que eram construídos de pedra e por isso resistiram ao tempo. Na época o material mais usado para construção era o barro, um material frágil e que não tem longa durabilidade.

O paisagismo na Índia é influenciado por seu clima tropical, e seus tipos de topografia como montanhas, grandes rochas, rios.

As características do jardim são: lagos em formas geométricas, fontes, percursos de águas e plataformas de pedra para que o Rajah (imperador) possa se sentar. O espaço ao ar livre é muito valorizado para o descanso, a meditação e a contemplação. É prática comum na Índia a larga utilização de canais de água elevados.

Jardim Japonês

É um jardim que envolve a religião, o estado de espírito. Na construção desse estilo de jardim leva-se em conta a filosofia, a simbologia de cada elemento. São inclusos: água, pedras, plantas e os acessórios.

O paisagismo para os japoneses é uma das formas de arte mais expressivas pois consegue formar uma certa paisagem num espaço delimitado de forma harmônica.

Alguns elementos são imprescindíveis para o estilo, são eles:

 

O Sakura ou cerejeira ornamental: Árvore florífera, sua flor é tida pelos japoneses como ‘flor da felicidade’ , quando a árvore floresce, eles festejam sua floração.

O Momiji-Gari ou Acer Vermelho: Significa a melancolia e a reflexão.

As lanternas de pedra: Ajuda a clarear a mente, traz concentração e devem ser dispostos de forma a não ofuscar a visão.

O lago e as carpas: O lago é importante porque água representa vida, as carpas representam fertilidade e prosperidade.

Taiko Bashi ou ponte: Significa a evolução o amadurecimento,engrandecimento, auto-conhecimento.O bambu; a flexibilidade.

As pedras das cascatas: Fica no centro do jardim. A pedra colocada na posição vertical representa a figura do pai, e a da horizontal, a mãe, dela, brota a água. As outras pedras, simbolizando os descendentes, são distribuídas em torno do lago e entremeadas pela vegetação.

O bambu e os adornos: Os galhos do bambu são amarrados, direcionando o crescimento para que a planta se curve para o lago, como em reverência. O sino de vento e os macacos de cerâmica, fixados na planta, trazem o som da natureza e a felicidade.

Jardim Inglês

Foi um jardim inovador,avesso às formas simétricas e artes de topiaria. Encanta pelas suas formas curvas e arredondadas, tanto no relevo como nos caminhos e na construção de bosques.

Esse estilo é composto de vastos gramados com grandes alamedas. Não se usa terrenos planos e sim com ondulações que por sua vez, são muito valorizadas. Formas geométricas ou retas não são usadas.

Podem-se misturar árvores e arbustos ou mesmo usá-los separadamente, plantas floríferas e perfumadas podem ser aplicadas nos maciços em meio ao extenso gramado.

 

 

Componentes como rochedos e pequenas colinas, construção de ruínas, clareiras, lagos, riachos, quiosques, são bem-vindos porque trazem naturalidade e charme ao jardim. O intuito desse jardim é fazer com que a pessoa tenha a impressão de que anda por um bosque antigo e natural, onde o homem não interferiu na natureza.

Jardim Francês

É o mais rígido e formal de todos os estilos, um jardim clássico. Sua composição só aceita formas geométricas e simetria perfeita, um exemplo desse tipo de jardim é o do Palacio de Versalhes, que demostra o domínio do homem na natureza.

Os caminhos desse jardim são largos e bem definidos, com arbustos perfeitamente topiados. As curvas francesas são muito utilizadas, todas perfeitamente simétricas e organizadas.

Em questão de flores são usadas  roseiras, tulipas e azaléias, que são vistas apenas em canteiros delimitados.

Devido à intensa necessidade de podas, o jardim francês é considerado de alta manutenção e custo, que pode ser amenizado com plantas de crescimento lento a moderado.

Outros elementos também podem fazer parte, como lagos, bancos, colunas, caramanchões, luminárias, esculturas, etc, desde que se integrem ao estilo.

Jardim Desértico

O jardim desértico reproduz a paisagem árida. Caracteriza-se pela presença de plantas xerófitas ( espécies que desenvolveram a capacidade de reduzir a perda de água).

Os jardins desérticos podem ser:

1. Informais: Segue linhas orgânicas e quase não há acessórios.

2. Temático: Relacionado com a cultura e as plantas de determinada região, podendo então recriar paisagens como a caatinga do nordeste brasileiro, jardins mexicanos, jardins do cerrado.

3. Desérticos Contemporâneos: Livres na forma e contém elementos ousados como vasos, pedras e elementos inovadores.

Todos esses tipos de jardim desértico apresentam elementos em comum como as plantas geométricas e simétricas. Normalmente os espinhos estão presentes nesse estilo de jardim.

O jardim requer pouca manutenção, por outro lado necessita de um excelente sistema de drenagem, forrações com pedriscos e areia também se faz necessário.

Jardim Italiano

Nesse estilo de jardim, utiliza-se plantas frutíferas, flores, estátuas, e fontes, geralmente localizadas no centro do jardim.

Encontra-se também formas topiadas de buxinhos com estátuas de deuses e árvores como laranjeiras e macieiras. Não pode faltar o elemento água, seja numa fonte, chafariz ou mesmo espelho d’água. As plantas devem ser de origem mediterrânea para aguentar o frio e a seca. Podem ser usados também  vasos cerâmicos, esculturas, treliças, arcos, pontes, bancos, etc, trazendo ao ambiente um clima romântico e clássico.

[continuação dos estilos de jardins nos próximos posts]

Jardim Tropical

Antes de montar seu jardim, é bom você se identificar com um estilo de jardim.

Abaixo temos o primeiro exemplo de um estilo de jardim:

Jardim Tropical

Esse jardim tem como característica a impressão de que o homem não interferiu na paisagem. Algumas das plantas que adornam esse jardim são as de cores vivas e formas esculturais como palmeiras, dracenas, bromélias, helicônias, bananeiras, gengibres e orquídeas, entre muitas outras. Elementos como bancos, pergolados, vasos, são bem-vindos.Neste estilo também não podem faltar pedras, lagos ou fontes sempre com a aparência o mais natural possível.

[mais estilos de jardins nos próximos posts]