Cereja-do-rio-grande.

 

  • Nome Científico: Eugenia involucrata
  • Sinonímia: Phyllocalyx involucratus, Phyllocalyx laevigatus, Eugenia paraguayensis
  • Nome Popular: Cereja-do-rio-grande, Cerejeira, Cerejeira-do-mato, Cereja, Cerejeira-da-terra, Cerejeira-do-rio-grande, Guaibajaí, Ivaí, Ibajaí, Ubajaí, Ibá-rapiroca, Ibárapiroca
  • Família: Myrtaceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: Brasil
  • Ciclo de Vida: Perene

A cerejeira-do-rio-grande é uma árvore frutífera e ornamental, bastante popular nos quintais e pomares do sul e sudeste do Brasil. Sua copa é colunar e seu porte é pequeno a médio, alcançando de 5 a 15 metros de altura. O tronco é reto, liso e descamante, com belas tonalidades de cinza, castanho, verde ou vermelho, dependendo da fase da casca. As folhas são simples, cartáceas, brilhantes, opostas, lanceoladas a elípticas e aromáticas.

As flores são axilares, longopedunculadas, solitárias, pentâmeras e brancas. O centro da flor é caracterizado por numerosos e longos estames, com anteras amarelas. Os frutos são bagas subglobosas a piriformes, de casca fina, cor vermelha a negra quando maduras, coroados pelo cálice persistente. Cada fruto pode conter de uma a três sementes de cor castanha, grandes e oblongas. Floresce e frutifica na primavera.

No jardim ou no pomar, a cerejeira-do-rio-grande se destaca pelo tronco elegante e copa decídua, que marca as estações e ainda fornece numerosos frutinhos. Além disso, é indispensável em áreas de reflorestamento, pois é muito atrativa para a vida silvestre. Os frutos são muito saborosos, doces e levemente ácidos, com polpa carnosa e suculenta. Eles podem ser consumidosin natura ou na forma de compotas, geléias, sorvetes, vinhos, licores, etc. Também pode ser plantada em vasos. A queda dos frutos produz um certo lixo e mancha calçadas e carros, por este motivo, deve se evitar seu uso em áreas de estacionamento.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia sombra, em solo fértil, profundo, drenável e enriquecido com matéria orgânica. Aprecia sombreamento parcial e irrigação periódica nos primeiros anos após o plantio, sendo gradativamente descoberta. Tolerante ao frio. É importante a fertilização anual com adubos químicos ou orgânicos, aplicados na projeção da copa. Também deve se ter o cuidado de manter a árvore bem hidratada durante a floração. Uma irrigação complementar neste período, em caso de estiagem, pode garantir uma boa frutificação. Multiplica-se por sementes que germinam em até 2 meses. A frutificação é precoce, iniciando 4 anos após o plantio. O espaçamento ideal é de 6 metros entre as mudas.

Original de: Raquel Patro, Jardineiro.net

 

Jardim Japonês

É um jardim que envolve a religião, o estado de espírito. Na construção desse estilo de jardim leva-se em conta a filosofia, a simbologia de cada elemento. São inclusos: água, pedras, plantas e os acessórios.

O paisagismo para os japoneses é uma das formas de arte mais expressivas pois consegue formar uma certa paisagem num espaço delimitado de forma harmônica.

Alguns elementos são imprescindíveis para o estilo, são eles:

 

O Sakura ou cerejeira ornamental: Árvore florífera, sua flor é tida pelos japoneses como ‘flor da felicidade’ , quando a árvore floresce, eles festejam sua floração.

O Momiji-Gari ou Acer Vermelho: Significa a melancolia e a reflexão.

As lanternas de pedra: Ajuda a clarear a mente, traz concentração e devem ser dispostos de forma a não ofuscar a visão.

O lago e as carpas: O lago é importante porque água representa vida, as carpas representam fertilidade e prosperidade.

Taiko Bashi ou ponte: Significa a evolução o amadurecimento,engrandecimento, auto-conhecimento.O bambu; a flexibilidade.

As pedras das cascatas: Fica no centro do jardim. A pedra colocada na posição vertical representa a figura do pai, e a da horizontal, a mãe, dela, brota a água. As outras pedras, simbolizando os descendentes, são distribuídas em torno do lago e entremeadas pela vegetação.

O bambu e os adornos: Os galhos do bambu são amarrados, direcionando o crescimento para que a planta se curve para o lago, como em reverência. O sino de vento e os macacos de cerâmica, fixados na planta, trazem o som da natureza e a felicidade.

Jardim Inglês

Foi um jardim inovador,avesso às formas simétricas e artes de topiaria. Encanta pelas suas formas curvas e arredondadas, tanto no relevo como nos caminhos e na construção de bosques.

Esse estilo é composto de vastos gramados com grandes alamedas. Não se usa terrenos planos e sim com ondulações que por sua vez, são muito valorizadas. Formas geométricas ou retas não são usadas.

Podem-se misturar árvores e arbustos ou mesmo usá-los separadamente, plantas floríferas e perfumadas podem ser aplicadas nos maciços em meio ao extenso gramado.

 

 

Componentes como rochedos e pequenas colinas, construção de ruínas, clareiras, lagos, riachos, quiosques, são bem-vindos porque trazem naturalidade e charme ao jardim. O intuito desse jardim é fazer com que a pessoa tenha a impressão de que anda por um bosque antigo e natural, onde o homem não interferiu na natureza.

Jardim Francês

É o mais rígido e formal de todos os estilos, um jardim clássico. Sua composição só aceita formas geométricas e simetria perfeita, um exemplo desse tipo de jardim é o do Palacio de Versalhes, que demostra o domínio do homem na natureza.

Os caminhos desse jardim são largos e bem definidos, com arbustos perfeitamente topiados. As curvas francesas são muito utilizadas, todas perfeitamente simétricas e organizadas.

Em questão de flores são usadas  roseiras, tulipas e azaléias, que são vistas apenas em canteiros delimitados.

Devido à intensa necessidade de podas, o jardim francês é considerado de alta manutenção e custo, que pode ser amenizado com plantas de crescimento lento a moderado.

Outros elementos também podem fazer parte, como lagos, bancos, colunas, caramanchões, luminárias, esculturas, etc, desde que se integrem ao estilo.

Jardim Desértico

O jardim desértico reproduz a paisagem árida. Caracteriza-se pela presença de plantas xerófitas ( espécies que desenvolveram a capacidade de reduzir a perda de água).

Os jardins desérticos podem ser:

1. Informais: Segue linhas orgânicas e quase não há acessórios.

2. Temático: Relacionado com a cultura e as plantas de determinada região, podendo então recriar paisagens como a caatinga do nordeste brasileiro, jardins mexicanos, jardins do cerrado.

3. Desérticos Contemporâneos: Livres na forma e contém elementos ousados como vasos, pedras e elementos inovadores.

Todos esses tipos de jardim desértico apresentam elementos em comum como as plantas geométricas e simétricas. Normalmente os espinhos estão presentes nesse estilo de jardim.

O jardim requer pouca manutenção, por outro lado necessita de um excelente sistema de drenagem, forrações com pedriscos e areia também se faz necessário.

Jardim Tropical

Antes de montar seu jardim, é bom você se identificar com um estilo de jardim.

Abaixo temos o primeiro exemplo de um estilo de jardim:

Jardim Tropical

Esse jardim tem como característica a impressão de que o homem não interferiu na paisagem. Algumas das plantas que adornam esse jardim são as de cores vivas e formas esculturais como palmeiras, dracenas, bromélias, helicônias, bananeiras, gengibres e orquídeas, entre muitas outras. Elementos como bancos, pergolados, vasos, são bem-vindos.Neste estilo também não podem faltar pedras, lagos ou fontes sempre com a aparência o mais natural possível.

[mais estilos de jardins nos próximos posts]